FILOSOFIA – COMENTÁRIOS – ORGANIZAÇÃO – NUTRIÇÃO – ACTIVIDADES – PUBLICAÇÃO

 

FILOSOFIA

 A diversidade das pessoas é a sua riqueza. Nem todas as pessoas são iguais, mas todas as pessoas são igualmente valiosas. Não é a igualização dos seres humanos que é o seu destino, mas o desenvolvimento da sua maior diversidade possível:

Biliões de indivíduos diferentes são a condição para a possibilidade de se realizarem condições humanas.

Não ser igual, mas ser diferente significa: „Estou interessado em ti como diferente“.

As pessoas com esta consciência existem em todo o mundo.

+++

As pessoas só serão pessoas quando forem capazes de organizar a sua vida em conjunto sem exercer o poder.

Enquanto existirem estruturas de poder entre as pessoas, poucos têm quase todos os tesouros da terra – a maioria não tem quase nada.

Os poucos usam o seu poder para obter infinitamente mais – a maioria considera a sua impotência uma lei da natureza.

O abuso de poder – manutenção violenta da condição desumana sob o manto da legalidade – encontra a sua imagem espelho no abuso da impotência: ataques violentos contra a condição injusta sob o manto da religião ou da ideologia, ambos são igualmente injustificáveis. Ambos são mutuamente dependentes, ambos passam as bolas um ao outro, ambos se fornecem mutuamente com pretextos. Ambos crescem proporcionalmente: é assim que a civilização trabalha para a sua queda.

Entre os animais, é a lei da selva – entre os humanos, manifesta-se como poder: Não é o direito do mais forte que se aplica, mas o dever do mais forte.

Mas os humanos ainda usam os meios da ciência e da tecnologia, criados por e para os humanos, para cimentar o „direito“ animal dos mais fortes. Ao fazê-lo, abolem limites que ainda se aplicam mesmo entre os animais: acumular apenas a quantidade de gado que se necessita.

A primeira condição para uma sociedade humana é a compreensão sem poder. Isto só funciona se ninguém quiser dominar os outros ou impor-lhes a sua visão do mundo.

A segunda condição para uma sociedade de acordo com estes critérios é a produção sem lucro. Isto só funciona se ninguém quiser ter mais do que precisa e se ninguém quiser viver do trabalho de outras pessoas.

Enquanto as estruturas de poder e o pensamento de lucro determinarem as sociedades deste mundo, não haverá fim para o caos prevalecente. Eles são responsáveis por guerras, miséria e desespero. Não há justificação para poder e lucro.

+++

Os animais precisam de líderes. Os seres humanos não precisam de líderes – na medida em que ainda os seguem mostra o quão pouco se afastaram de ser animais.

A caravana é a possibilidade de viverem juntos sem líderes durante um longo período de tempo e de trocarem ideias, de produzirem resultados. A este respeito, é um modelo para o mundo.

A Caravana está concebida de tal forma que não funcionaria com um guia.

As pessoas que nele participavam concordaram que ou encontrariam algo que antes não existia entre as pessoas desta forma, a coisa mais elevada a que se poderia chegar: o fim do domínio das pessoas sobre as pessoas – ou fracassariam.

O pensamento: „o indivíduo é o grupo“ é alargado para: „o indivíduo é todos“. A estrutura do grupo como um modelo da estrutura para todas as pessoas.

Não se trata de saber se se tem a mesma atitude, posição ou não, mas se se concorda com ela.

+++

As pessoas têm de tomar a sua história nas suas próprias mãos: A Caravana é um passo nesse sentido.

Permite a organização da comunicação, mas não determina o seu conteúdo. Faz as perguntas, mas não fornece as respostas. É a condição da possibilidade – pode ser o início da sua realização.

Cada um determina as suas próprias acções – e é responsável por todas.

 

+++

A Caravana é um grupo de reflexão sobre a utopia. Trata-se das condições prévias materiais de uma sociedade utópica. (Utópico porque o seu „lugar“ não pode ser encontrado no existente).

A utopia concebida por uma ou mais é necessariamente totalitária porque uma ideia se sobrepõe às ideias de outras.

A utopia só pode ser realizada por todas as pessoas em conjunto – isto requer a definição das condições materiais necessárias para esta realização.

Deve ser provado em pequena escala que é possível em grande escala.

+++

Princípio supremo da produção: tudo o que é produzido deve durar o máximo de tempo possível, de acordo com os mais elevados padrões da ciência e da tecnologia.

Se as pessoas dessem uns aos outros os seus produtos e tudo o resto permanecesse como está agora, todos receberiam o seu dinheiro – excepto os banqueiros, accionistas e investidores da bolsa.

+++

Os artistas são animadores e mediadores da imaginação.

+++

Quando os participantes da Caravana reflectem sobre coisas existenciais de (super)vida, eles próprios têm de viver numa situação existencial. Eles experimentam-no como um exemplo, eles próprios são abastecidos com as necessidades, mas desta forma aprendem sobre as condições em que a maioria das pessoas tem de lutar pela sobrevivência todos os dias. A questão das verdadeiras necessidades só pode ser levantada sob tais condições de vida. Esta é outra razão pela qual experimentam as condições de vida no deserto, porque é aí que experimentam mais profundamente a importância de beber água.

+++

A Caravana é a desconstrução da Torre de Babel.

+++

O interesse é o cancro do dinheiro: o dinheiro não funciona, não pode funcionar.

As acções são os cancros da sociedade, as bolsas de valores são os cancros da civilização-.

Se ninguém quer lucrar, ninguém tem de ser oprimido.

O pensamento do lucro destrói a coexistência humana. Não faz parte da natureza humana, como os especuladores em particular sugerem. É por isso que os vícios existem: para que milhares de milhões de pessoas joguem com eles e os especuladores ganhem milhares de milhões de unidades monetárias.

Os milhares de milhões de excedentes que as pessoas ganham sem fazer nada por isso são bens roubados que têm de ser devolvidos.

+++

A publicidade é um psico-terrorismo incapacitante que restringe drasticamente a autodeterminação das pessoas.

+++

Como se a única alternativa à economia de lucro fosse a economia planeada e não a auto-organização. Os conselhos descritos por Hannah Arendt seriam mais possíveis hoje do que nunca com a ajuda da Internet.

+++

A ditadura do lucro funciona até ao nível mais pessoal: as pessoas só se encontram quando querem algo umas das outras, precisam de um pote, precisam de informação, precisam de ajuda – caso contrário, vivem umas ao lado das outras e não ouvem nada umas das outras.

+++

O primeiro objectivo da caravana é levar os governos de todos os países do mundo a introduzir um interregno de um ano de água potável

 

COMENTÁRIOS

Sua Excelência AHMED GAAFAR ABDELKARIM, Embaixador da República do Sudão em 23-1-2002 no Goethe-Institut, Berlim:

Muito obrigado por esta iniciativa.

Estou certo de que está a fazer algo que fará história e será recordado pelas gerações posteriores.

O Sudão tem sido um local de trabalho cultural e de intercâmbio intercultural durante vários milhares de anos. Penso que o seu trabalho é nada mais nada menos que isso: faz parte disso.

 

ORGANIZAÇÃO

O princípio de selecção da Caravana é o lote. Há uma pré-selecção de acordo com critérios aproximados para que nenhum racista, espião ou violador possa participar, o resto é decidido por sorteio.

O objectivo da Caravana é que os iniciadores se tornem supérfluos, sem liderança, sem poder: a independência da filosofia e a sua realização.

A tarefa dos organizadores é apenas estabelecer a organização da comunicação – uma vez que esta esteja em vigor, os participantes determinam tudo o resto eles próprios: A começar pela comida, que é feita para todos por associações de pessoas de diferentes culturas, alternando em todo o mundo,

às trocas artísticas – salas de chat, por exemplo – às formas democráticas.

a formas democráticas: se alguém sugerir que algo deve ser feito de forma diferente, pode colocá-lo para discussão e todos podem responder.

O oposto de liderança. Não há directrizes. Não pode haver nenhum.

Há uma atitude.

O aparelho organizativo da iniciativa é construído de tal forma que se torna supérfluo; um conceito de auto-dissolução das estruturas de iniciativa, de transição para estruturas colectivas: „Todos juntos“, e 100%.

Só quando estas novas formas de vida em conjunto tiverem sido encontradas e se tornarem independentes é que isto continuará e se expandirá para além da Caravana.

Se algumas pessoas de todo o mundo conseguirem organizar-se sem poder, todos os outros também o conseguirão.

 

ALIMENTAÇÃO

O ponto central de comunicação é a comida, a sua preparação, o seu prazer, a sua digestão comunicativa.

Através do canal alimentar, todos aqueles que querem partilhar o que poderiam cozinhar, quando, por quantas pessoas e por quanto tempo; os resultados são utilizados para compilar as áreas em que irão cozinhar, que devem ser planeadas com bastante antecedência para que os ingredientes básicos estejam todos disponíveis. Os pratos do dia estão online, para que todos possam escolher entre tudo ou mesmo planear com antecedência.

Os químicos alimentares têm de lá estar

 

ACTIVIDADES

Filmes comparativos sobre como certas actividades diárias são tratadas em diferentes culturas.

– Por exemplo, chá: mexer no nosso país – verter no Mali. Contra-corte com texto.

– Armazenamento de bagagens: no Mali dando a mala a alguém para cuidar – na Europa atirando a mala para um pára-quedas que a engole, mais afixação electrónica de imagens.

– Comer: no Mali, as pessoas que comem em público pedem a todos os que passam que „venham e comam connosco“ – na Europa, vêem-se pessoas a comer em todo o lado.

Documentações de modelos já existentes nos quais funcionam estruturas iguais.

Documentações de iniciativas de conteúdo mais limitado mas geralmente com o mesmo objectivo.

Os artistas participantes desenvolvem poesia individual e colectiva, prosa, teatro, dança, vídeos, pinturas e esculturas em grupos internacionais, informando-se e influenciando-se mutuamente sobre as suas diferentes culturas.

 

PUBLICAÇÃO

Existem 20 canais de 10, pelo que cada grupo de trabalho tem um canal com outros nove.

As produções são classificadas e divulgadas para emissão de acordo com a data de recepção e através de um horário que enumera todas as faixas horárias de emissão gratuita.

Pode inscrever-se; se estiver tudo cheio, tem de esperar até que um slot seja gratuito (ou automaticamente, com tantos na fila, outro canal se desenvolve, pré-programado) ou ser empurrado para slots gratuitos noutros locais – todos pré-programados digitalmente para que todos, indivíduos e co-produções interculturais, tenham as mesmas oportunidades de colocar a(s) sua(s) produção(ões) no ar.

Há um índice de quem produziu o quê onde e quando, para que todos tenham a oportunidade de decidir o que querem ver.

Não há pré-selecção, não há prioridades, não há predeterminação.

As classificações são tornadas públicas para que todos possam ver o que foi mais vigiado.

Quando as produções são transmitidas em todo o mundo, não há publicidade nem logótipos de estações na imagem. Todas as empresas que tenham doado estão autorizadas a fazer publicidade com ela, por exemplo, „somos um patrocinador oficial da Caravana, etc.“. Serão listados no website da Caravana.